Os sistemas de pagamentos e transferências online estão se tornando uma forte tendência para as empresas que trabalham com vendas. O segmento é tão relevante que vem ganhando novos players, e estes já estão acirrando a concorrência no mercado.

Recentemente, a notícia de que o WhatsApp estava lançando seu próprio sistema de pagamento deixou muitos empreendedores animados com a ideia de receber valores diretamente no app. Apesar de ter sido inicialmente barrado pelo Banco Central, o WhatsApp Pay promete ser uma solução importante para quem trabalha com vendas e prestação de serviços. A autorização do BC para o novo serviço ainda está pendente, mas deve acontecer em breve.

Neste mesmo contexto, em novembro de 2020, o Banco Central promete lançar seu próprio sistema de pagamento instantâneo, o chamado PIX. O lançamento deve ser um marco relevante para a indústria de meios de pagamentos no Brasil.

A principal diferença entre os sistemas de pagamentos e transferências instantâneas em relação aos meios convencionais de recebimento já em uso, como as maquininhas para cartão de crédito e débito e os pagamentos por aproximação, é que as transações terão como protagonista o smartphone. Ou seja, na palma das mãos, o cliente terá acesso a sua carteira digital e aos sistemas de pagamento.

O objetivo desses sistemas de pagamentos instantâneos é facilitar as transações e dinamizar as relações de compra e venda no país.

O que é o PIX?

Para o Banco Central, o PIX é o modelo ideal de sistema de pagamento. Entenda as funcionalidades do serviço!

O PIX é o modelo de sistema de pagamentos instantâneos apontado pelo Banco Central como o mais seguro e eficiente. De acordo com o BC, este sistema tem todos os requisitos obrigatórios para garantir uma boa experiência do usuário. O modelo poderá ter a adesão de todas as instituições financeiras interessadas.

Neste modelo, as principais funcionalidades são: opção de pagamento e/ou recebimento na tela de login, ambiente seguro, menus e submenus de pagamentos e transferências dentro do app, inserção de chave para endereçamento, leitura de QR Code e/ou link e inserção de PSP, agência, conta e CPF ou CNPJ do recebedor. Todas as transações passarão por validações de segurança.

O PIX está em fase de testes. Segundo o Banco Central, mais de 150 instituições financeiras já estão na lista de adesão do PIX, entre elas os maiores bancos privados do país, como Santander, Itaú e Bradesco.

O PIX também usará o smartphone como dispositivo para pagamentos e funcionará 24 horas por dia, 7 dias por semana. A liquidação de todas as transações do sistema será feita pelo próprio Banco Central.

A ideia é que as operações ocorram em, no máximo, 10 segundos, e com redução de custos em relação aos modelos de TED e DOC oferecidos hoje pelos bancos tradicionais. O serviço deve aumentar a competitividade das empresas, além de oferecer uma solução segura, moderna e acessível para a realização de transações online.

Agora, basta esperar o lançamento desses modelos de pagamento para ver como eles vão impactar o mercado brasileiro. Nós, da Wash&Go, estamos animados com essas novas possibilidades. E vocês?